Cirurgia Robótica – O Futuro Chegou!

O incrível avanço tecnológico das últimas décadas tem se refletido diretamente no implemento de avançadas técnicas na medicina, tanto no diagnóstico como no tratamento. E na área cirúrgica a laparoscopia, já amplamente empregada, tem um novo aliado: a cirurgia robótica!
Robotica (7)
Os robôs vem sendo cada vez mais empregados em todas as áreas de produção e nesta última década foram definitivamente incorporados na medicina, mais especificamente na pratica cirúrgica.
A cirurgia laparoscópica é realizada através de pequenas incisões pelas quais se colocam os instrumentos para a realização da cirurgia.
A cirurgia robótica segue o mesmo princípio, mas quem move estes instrumentos, de forma tridimensional, é um robô. Todos os movimentos do robô são comandados pelo cirurgião, que fica em um console de trabalho, ao lado. Neste, o cirurgião tem uma visão tridimensional (3D) do campo cirúrgico, através da câmara que está no paciente. Junto do paciente o cirurgião auxiliar comanda a entrada e saída de pinças e materiais cirúrgicos, como fios e clipes.
As cirurgias laparoscópica e robótica são chamadas de procedimentos minimamente invasivos por apresentar inúmeras vantagens, em comparação com a cirurgia aberta, tradicional, a saber: melhor aspecto estético, menos dor no pós-operatório, menor necessidade de medicação analgésica, recuperação mais rápida e retorno a atividades habituais, menor sangramento e em muitos casos, menor tempo cirúrgico. Além disso, nas cirurgias de próstata, retirada mais rápida da sonda vesical e menor necessidade de se usar um dreno abdominal no pós-operatório.
A cirurgia auxiliada por robô acrescenta ainda outras vantagens, tais como:
  • Remoção mais precisa do câncer
  • Diminuição de tremores eventualmente apresentados pelo cirurgião durante a cirurgia
  • Melhor capacidade de se fazer preservação de nervos (no caso da próstata, preservação de ereção no pós-operatório)
  • Na cirurgia de próstata: retorno mais rápido da função sexual e melhora da continência urinária no pós-operatório
Utilizando a plataforma da cirurgia robótica o cirurgião controla durante toda a cirurgia, com extrema precisão:
  • A visão em 3D e com magnificação de até 10 vezes
  • A remoção do órgão/tumor meticulosamente
  • Trabalha com precisão junto de nervos importantes e que devam ser preservados
No Brasil, ainda temos poucos robôs, a maioria em hospitais em São Paulo.
Muito embora muitos médicos já ofereçam a cirurgia robótica a seus pacientes, são poucos aqueles que estão aptos a realizá-las.
Além de ser uma tecnologia recente, cara e pouco disponível, demanda um treinamento específico para se tornar um cirurgião robótico.
Dr. Schneider, experiente cirurgião, com excelente formação tanto no Brasil (doutor pela Faculdade de Medicina da USP) como no exterior (Fellow da Universidade de Mainz – Alemanha), tem realizado cirurgia laparoscópica há 15 anos, com excelentes resultados e proficiência, incluindo as cirurgias mais complexas como prostatectomia radical e nefrectomia parcial. Após constatar a maior eficácia e precisão da cirurgia robótica, fez o treinamento preconizado pela fabricante no Robô Da Vinci, com várias horas de treinamento virtual on-line, treinamento em simuladores e treinamento em animais, em Bogotá – Colômbia. Após essa capacitação e habilitação, realiza suas cirurgias robóticas em São Paulo, nos hospitais 9 de Julho, Albert Einstein e São Luiz.
Clientes tanto de São Paulo como do interior são operados e acompanhados pelo Dr. Schneider durante toda a internação, recebendo um atendimento humanizado, atualizado e competente, garantindo não apenas o sucesso do tratamento, mas também a satisfação emocional que todo este processo exige.

Resp. Téc.: Dr. Edison Schneider | Urologista - CRM/SP 90777 - RQE - 71712

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Desenvolvido por