Urologia Feminina

O urologista é o médico responsável pelo tratamento do trato urinário feminino, e desta forma está habilitado para tratar incontinência urinária, cistos uretrais, disfunções miccionais femininos além dos tumores do trato urinário, pertinentes a ambos os sexos. Abaixo, listamos algumas das áreas que Dr. Schneider trata, especificamente nas pacientes do sexo feminino.

1.3.1 Incontinência urinária

O que é?
Perda involuntária de urina, que pode estar relacionada a esforços como tossir, ou espirrar, ou ser resultante de contrações da bexiga, ocorrendo na ausência de esforços, podendo provocar a sensação de desejo miccional urgente, com diminuição do intervalo entre as micções durante o dia, necessidade de se acordar a noite para urinar (noctúria), ou mesmo perda de urina noturna.

Causas:
As causas principais incluem uma fraqueza da musculatura do assoalho vesical/períneo (relacionada à incontinência de esforço), ou alterações neurológicas e/ou funcionais da bexiga, promovendo contrações mais frequentemente, independente do volume de urina na bexiga e causando uma sensação de “querer urinar a toda hora”.
Cerca de 35% das mulheres após a menopausa apresentam incontinência aos esforços e, durante a gestação ou logo após o parto 40% delas chegam a perder urina.

Diagnóstico:
O diagnóstico é realizado pelos sintomas aliado ao estudo urodinâmico, que define a pressão necessária no interior da bexiga para ocorrer as perdas, além da presença de contrações involuntárias da bexiga.

Tratamento:
É realizado com fisioterapia para fortalecimento da musculatura pélvica, cirurgias de reforço desta musculatura ou ainda com medicação que atua no músculo da bexiga (detrusor), no caso da bexiga hiperativa.

1.3.2 Fístula vésico-vaginal

O que é?
Consiste na comunicação entre a bexiga e a vagina com perda de urina continuamente pela vagina.

Causas:
Pode ser causada principalmente por parto normal complicado, cirurgias ginecológicas ou radioterapia.

Tratamento:
A perda contínua de urina torna a vida da paciente um martírio e a correção cirúrgica no momento adequado e com boa técnica cirúrgica são imprescindíveis para uma boa evolução.
“A melhor chance de sucesso no fechamento da fístula vésico-vaginal usualmente permanece nas mãos do cirurgião que faz a primeira tentativa. A chance de sucesso diminui a cada tentativa subseqüente.”
Dr Schneider tem experiência consistente no fechamento de fístulas vésico-vaginais, utilizando a técnica mais adequada para cada caso, com resultados excelentes, mesmo em pacientes que já se submeteram a múltiplas cirurgias mal-sucedidas.

1.3.3 Disfunções miccionais

O que é?
Sob esse título encontra-se uma variedade enorme de doenças que causam algum distúrbio nas funções relacionadas ao ato de urinar. As causas neurológicas acometem ambos os sexos, e são comentadas em local específico.

Sintomas:
Nas mulheres a diminuição do intervalo entre as micções, urgência miccional (vontade imperativa de urinar, mesmo com pequena quantidade de urina na bexiga) e micções noturnas estão relacionadas à hiperatividade detrusora (contrações involuntárias da bexiga).
A dificuldade para urinar é mais comum nos homens, mas também pode atingir as pacientes do sexo feminino, causando jato fraco, resíduo de urina na bexiga após urinar e, com o tempo, pode desencadear uma hiperatividade detrusora secundária à obstrução.

Diagnóstico:
A história clínica, o exame físico e o estudo urodinâmico são itens fundamentais para o diagnóstico, e o tratamento é individualizado de acordo com os achados de exame.

Resp. Téc.: Dr. Edison Schneider | Urologista - CRM/SP 90777 - RQE - 71712

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Desenvolvido por